Unidade privada com cuidados de saúde inovadores e de excelência

  • Uma equipa médica conceituada;
  • Uma abordagem global com consulta, meios de diagnóstico e recuperação física;
  • Um espaço amplo e agradável;
  • Acesso fácil e estacionamento acessível.

Marque já a sua consulta
de forma fácil e rápida

    urgentenão urgente

    Neuropatia Diabética

    Neuropatia Diabética

    • 8 Agosto, 2017

    por Dr. Armando Barbosa – Director Clínico Paincare

    A Diabetes é a causa mais frequente de neuropatia a nível mundial.

    A Neuropatia Diabética engloba um conjunto de síndromes com diferentes manifestações clínicas, podendo surgir em diabéticos que façam insulina ou em diabéticos que não sejam insulino dependentes de igual forma, uma vez que o ponto fulcral desta neuropatia (à semelhança das outras complicações da diabetes) é o mau controlo da glicemia.

    De um ponto de vista fisiopatológico, os nervos periféricos dos doentes diabéticos apresentam perda de substância e alterações vasculares.

    A Mononeuropatia Periférica pode resultar de morte de neurónios ou compressão nervosa. apresentando dor em queimadura, formigueiro e hiperalgesia no território do nervo afectado.

    As Radiculoneuropatias são extremamente dolorosas e podem ser focais ou multifocais. A dor é mais intensa durante a noite, acompanhada de hiperestesia e descrita como “queimadura”, “moinha”, “lancinante” ou “facada”.

    A Amiotrofia Diabética é uma neuropatia do plexo lombo-sagrado, mais frequente em homens idosos com diabetes tipo II, numa fase inicial de controlo glicémico em que há perda de peso. Pode ser uni ou bilateral, associa-se a fraqueza muscular e sintomas autonómicos.

    O quadro clínico pode ser confundido com caquexia ou neuropatia compressiva, pelo que as neoplasias têm de ser excluídas.(1)

    A polineuropatia sensório-motora simétrica distal, também conhecida por Neuropatia Diabética Periférica, é a neuropatia mais frequente em diabéticos.

    O doente refere “dormência” e “formigueiro” nos membros inferiores, sobretudo os pés, com progressão proximal, simétrica, que se vai estabelecendo ao longo de meses a anos. Com a evolução da neuropatia os membros superiores também são atingidos com a típica distribuição em “meia e luva”.

    A dor é pior durante a noite e descrita como “choques eléctricos espontâneos”, “facada” ou sensação de “queimadura quente ou fria”. O exame objectivo dos membros inferiores destes doentes revela rarefacção pilosa, pele brilhante e atrofia muscular.(1)

    O principal objectivo do tratamento da neuropatia diabética é a manutenção da normoglicémia, porque só esta permite desacelerar a progressão da doença.

    Tratamento da Neuropatia Diabética:

    • Medicação – Anticonvulsivantes e antidepressivos em associação com outros fármacos.
    • Bloqueios da cadeia simpática
    • Neuromodulação
    • Cirurgia de descompressão

    Saiba mais sobre a Neuropatia Diabética e os tratamentos que poderá realizar connosco. Contacte-nos!